Dominant Species – análise

Publicado: 26 de novembro de 2015 por Alexandre Trentini em Resenha
Tags:, , , ,

Há 90.000 anos atrás o mundo se preparava para entrar em uma era glacial, as espécies de várias classes de animais competiram entre si e lutaram pela sobrevivência em um mundo ficando cada vez mais escasso de recursos, esse é o cenário de Dominant Species, jogo de Chad Jensen publicado pela GMT em 2010.

DS Capa

Dominant Species é um jogo de 2 a 6 jogadores onde cada jogador controla uma classe animal dentre as 6 classes: Mamíferos, Répteis, Pássaros, Anfíbios, Aracnídeos, Insetos. O objetivo do jogo é fazer com que as espécies da sua classe sobrevivam e se adaptem bem até o momento de clímax da Era do Gelo na Terra. Em termos mecânicos, em cada rodada os jogadores irão fazer pontos de vitória de acordo com maiorias de espécies em terrenos, uso de cartas de efeitos especiais e sobrevivência na tundra, no fim do jogo vence quem tem mais pontos de vitória.

É um jogo de domínio de área onde as ações dos jogadores são resolvidas por um sistema de alocação de ações e resolução em uma ordem determinada. Cada jogador, em sua vez de jogar no turno, aloca um peão de ação (um trabalhador) em uma das 12 ações disponíveis. Depois que todos os jogadores colocaram seus peões, as ações são resolvidas em ordem de procedência,  da esquerda para a direita, de cima para baixo.

A Terra, os elementos e as espécies

A parte central do tabuleiro representa a Terra e os diferentes terrenos nela encontrados, vai desde o mar e pantanais, passa por savanas, florestas e selvas até ambientes mais áridos como desertos e montanhas. Mas o mais inóspito de todos os terrenos é a tundra, que ao longo do jogo tende a avançar e englobar áreas ricas em fauna e flora e transformar em locais gelados e sem vida.

Tabuleiro

Cada jogador controla uma classe e cada classe possui um número determinado de espécies em seu poço de genes, que são representadas por cubos de madeira da cor da classe. Desse poço de genes surgem as mais variadas espécies da classe que irão habitar os vários terrenos que compõe a Terra.

Cada classe é inicialmente mais adaptada a um tipo de elemento, existem 6 elementos primários encontrados nos terrenos: carne, água, larvas, sementes, grama, sol.

Se uma ou mais espécies se encontram em um terreno onde não existe nenhum elemento ao qual sua classe se adapte, essas espécies estão em perigo de extinção.

Dominância e maioria

Um conceito importante a ser debatido nesse jogo é a diferença entre dominância e maioria. Maioria em um terreno significa que a classe de um jogador possui uma quantidade maior de espécies em um determinado terreno do que outras classes. Simplesmente conta-se a quantidade de cubos da cor das classes em um determinado espaço e quem tem a maioria é quem tiver mais cubos.

Dominância é o quão adaptado a aquele espaço estão as espécies de determinada classe em relação a outras classes. Tem a ver com a quantidade de elementos presentes no local que batem com os elementos em que a classe está adaptada. Quem estiver melhor adaptado à um espaço na Terra, possui a dominância naquela região. Vejam que a quantidade de espécies que a classe tem na região independe de ele possuir dominância ali. As dominâncias são representadas por cones de madeira.

Dominant-Species-Map

As ações

Existem 12 ações disponíveis para escolher e algumas possuem números limitados de espaços que podem ser ocupados pelos peões. Cada jogador possui um número determinado de peões que é dependente da quantidade de jogadores que estão na partida e esse valor pode se modificar com o uso de algumas cartas durante o jogo.

ds-turns

Com iniciativa o jogador pode melhorar sua iniciativa na ordem de turno, que começa em ordem reversa a cadeia alimentar.

Com adaptação as classes conseguem se adaptar a mais elementos diminuindo sua chance de extinção e aumentando sua probabilidade de dominância em vários espaços da Terra. Já na regressão, as classes lutam para não perderem a adaptação dos elementos que adquiriram ao longo do jogo.

Abundância permite ao jogador colocar um elemento a algum lugar do tabuleiro. A ação de Terra incultivável evita que um elemento seja retirado das bordas da tundra para o jogador que alocar seu peão no espaço da ação. Depreciação permite ao jogador retirar um elemento de algum lugar da Terra.

Glaciação, uma das ações mais importantes, permite ao jogador glaciar uma região adjacente a tundra, a nova região se torna uma tundra e a quantidade de espécies naquela região é reduzido a uma para cada classe que já estava lá. Essa é uma das formas de fazer pontos de vitória, usando uma tabela de pontos bônus conforme a quantidade de tundras adjacentes a glaciação.

Especiação permite ao jogador colocar novas espécies vindas do poço de genes a regiões adjacentes a um determinado elemento.

Sede por viagens permite espécies conhecerem novas regiões, o jogador que aloca o peão nessa ação pode escolher um terreno dentre algumas opções e colocá-lo adjacente a outros terrenos na Terra, junto com um elemento a escolha dele das opções fornecidas, mais uma forma de fazer pontos bônus conforme a quantidade de espaços adjacentes ao terreno colocado. Logo após essa nova região ser descoberta, as espécies que habitam regiões adjacentes podem migrar para a nova região em ordem de cadeia alimentar.

A Migração permite aos jogadores migrarem suas espécies para regiões adjacentes onde elas estarão provavelmente livres de extinção, ou que possam valer pontos de vitória no fim da rodada.

Competição é onde as classes matam umas as outras no mapa. Os jogadores que alocam peões nessa ação podem matar uma espécie de alguma classe adversária nos locais onde existem espécies da classe do jogador.

E por último a ação mais importante e que dá ritmo na partida: Dominação. O jogador que escolheu a Dominação escolhe um espaço no mapa para pontuar, os jogadores recebem pontos naquela região de acordo com uma tabela pela maioridade de espécies da sua classe contidas nesse espaço. O desempate é feito em ordem da cadeia alimentar. Então o jogador que possuir dominância naquela região deve escolher uma carta dentre as opções da rodada para executar seu efeito. Novamente vale notar a diferença entre maioria e dominância, a pontuação na região é pela maioridade de espécies de cada classe, mas a escolha da carta é por quem tem a dominância na região.

Extinção e sobrevivência

Depois que as ações são executadas em cada rodada, os jogadores verificam se existem espécies em perigo de extinção (não há nenhum elemento nas bordas da região onde habitam nas quais a classe se adapta). Todas as espécies que se encontram nessa situação são extintas (removidas da Terra).

Após a extinção, o jogador que possuir mais espécies de sua classe nas tundras tem direito a fazer pontos bônus por sobrevivência, usando a tabela de pontos bônus, o jogador conta a quantidade de regiões de tundra a qual suas espécies habitam e marca pontos de vitória.

Survival

Então os espaços vagos por cartas que foram usadas na rodada anterior são preenchidos por novas cartas e inicia-se uma nova rodada.

As classes

Algo importante a ressaltar sobre Dominant Species é que cada classe possui uma habilidade diferente, tornando o jogo assimétrico. Não é, entretanto, uma coisa que define 100% do estilo de jogo de cada jogador. São habilidades menos decisivas do que o encontrado em outros jogos assimétricos.

Animais

Os insetos possuem mais facilidade de se Especiar. Os aracnídeos são melhores do que outras classes na ação de Competição. Os anfíbios já são adaptados a um elemento a mais do que as outras classes inicialmente. Os pássaros, ao migrarem, conseguem atravessar uma região. Os répteis possuem facilidade em se adaptar (ou melhor, mais resistência a regressão). E por último, os mamíferos conseguem sobreviver um pouco melhor que as outras classes à extinção.

O fim da partida

A partida termina na rodada em que a carta “Era do Gelo” for escolhida na ação de Dominação. A rodada segue até o final incluindo a fase de extinção e sobrevivência e então cada região é pontuada uma última vez conforme a tabela da região.

A carta “Era do Gelo” faz com que todos os jogadores pontuem de acordo com a quantidade de regiões que dominam (não é maioria), usando a tabela de pontos bônus.

Ice Age

Variante para 2 ou 3 jogadores

Apesar de ser possível jogar Dominant Species em 2 ou 3 jogadores usando as regras normais, a partida fica longe de ser o ideal, por isso existe uma variante oficial para melhorar a experiência nessa quantidade de jogadores.

Eu particularmente nunca usei essa variante por achar que dificulta o jogo exponencialmente, mas imagino que torne a experiência realmente melhor nessas quantidades de jogadores.

Na variante, cada jogador recebe 3 (para 2 jogadores) ou 2 (para 3 jogadores) classes para controlar, devendo fazer um bom trabalho com todas as classes, pois a única que irá valer pontos no final da partida, e determinar o vencedor, é a classe de cada jogador que menos pontuar.

Minhas considerações

Dominant Species é um euro pesado em que as partidas geralmente duram mais de 4 horas e por isso não é um jogo que se encaixa em qualquer situação e provavelmente não será um jogo que tenha uma freqüência grande de partidas.

A rejogabilidade é alta, principalmente quando se joga com pessoas bem variadas. Dominant Species se adequa a vários estilos de jogadores. Existem as pessoas que não executam nenhuma ação de competição, mas manipulam os elementos das regiões usando Abundância, Terra infértil e Depreciação. Enquanto outros usam a Competição com bastante freqüência, outros ainda ficam migrando conforme o interesse por novas regiões. E isso não é nem algo puramente dependente da classe que cada jogador escolhe, pois as habilidades de classe são pouco sensíveis em cada rodada.

A temática do jogo me agrada bastante e além de conhecermos termos da biologia (tanto nas ações quanto nas cartas), temos um breve deslumbre do exemplo do que acontece no mundo, mesmo usando um cenário bem específico que foi a era glacial.

As cartas possuem efeitos devastadores em sua maioria, mas existem formas de contornar a situação. As 5 cartas da rodada são conhecidas previamente na rodada, dando margem para manobra. E, com mais partidas, começa-se a ter conhecimento de cada carta do jogo (26 no total) dando margem para se preparar para elas com várias rodadas de antecedência. Todas as cartas do jogo são usadas e necessariamente irão aparecer nas rodadas da partida, porém apenas a carta “Era do Gelo” é conhecido o momento em que irá aparecer, todas as outras cartas são embaralhadas e podem definir muito do andamento da partida.

Cartas

Alguns exemplos de cartas

Existem 4 edições do jogo, todas possuem as mesmas regras mas da terceira edição em diante possui uma arte remodelada e um tanto mais elaborada que me agrada mais.

Fourth Edition

Arte nas cartas da primeira e segunda edições

Gosto de elogiar as regras e o manual, bem como as informações no tabuleiro, são objetivos e bem claros, a dificuldade do jogo está em manter suas espécies vivas e não em entender a regra.

É um jogo de confronto direto entre os jogadores e isso pode gerar vários problemas dependendo do grupo de jogadores. Geralmente o jogador que está na frente é o mais caçado (bash the leader) e é o que acaba perdendo fôlego no final, uma boa estratégia é manter-se competitivo mas nunca muito evidenciado na partida. A quantidade de espécies no poço de genes é limitada e algumas cartas, como “Catástrofe”, podem ser devastadoras em regiões super populosas. A perda de espécies na Terra são permanentes, exceto na glaciação onde os genes são congelados e as espécies voltam para o poço de genes do jogador.

O jogo funciona bem entre 4 a 6 jogadores, em 2 ou 3, a Terra costuma ficar mais vazia e com menos confrontos, a não ser que utilizado com a variante descrita na sessão anterior.

O preço do jogo é de 50 a 60 dólares mais o frete, não é um jogo barato, mas é um masterpiece. O jogo já venceu alguns prêmios como o Golden Geek e já é consagrado entre os jogadores.

Recomendo uma partida do jogo, Dominant Species é um jogo de luta pela sobrevivência e é um prato cheio para quem gosta de domínio de área e confronto direto em vários jogadores, além do tema ser bem legal. Mas se você não gosta de jogos de conflito ou o famoso “Bash the leader”fique longe dele.

Eu aprovo, é um dos meus favoritos!

Anúncios
comentários
  1. Aline disse:

    Tenho bastante curiosidade nesse jogo. Parece ser realmente muito bom.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s