Ra – resenha

Publicado: 10 de setembro de 2014 por Tiago Perretto em Resenha
Tags:, , ,

De pé, na margem úmida onde os caniços e os juncos dançavam à música do vento, era possível observar que o rio fluída no ritmo do povo que ele mantinha: corria rápido e amplo, fluindo para além de de seus limites, expandindo-se para cobrir a terra e trazer vida nova à onde antes havia os espaços incultos, rachados e de pouco uso.

O Nilo era o espelho e o sangue do povo egípcio, que estendia sua influência e poderio às regiões do mundo, alcançando os mares.

O rio crescia e também o fazia o império, sob a graça do Faraó, sob a proteção do Deus Sol.

 

RA – O JOGO

(Imagem por cnidius)

 

Em Ra, os participantes envolvem-se em uma série de leilões buscando acumular conjuntos de peças que permitam a eles marcar pontos quando as épocas terminam.

Isso é feito da seguinte maneira: em seu turno o jogador têm a opção de realizar uma de duas ações básicas (e uma terceira ação especial):

A) Revelar uma peça e colocá-la em um dos espaços apropriados (se for uma peça de Ra, vai na parte de cima do tabuleiro, se for qualquer outra peça, na parte de baixo);

ou

B) Chamar Ra (iniciar um leilão). Se o jogador chamar Ra e nenhum dos demais participantes der um lance no leilão, quem chamou o leilão é obrigado a dar um lance;

ou

C) Usar uma peça de Deuses. O jogador usa esta peça para retirar uma peças da linha de peças a serem leiloadas e pega-a para si. A peça de Deuses é removida para a caixa e não retorna mais durante a partida.

OS 3 LEILÕES:

Existem três maneiras de um leilão ser iniciado:

1) Se for revelada uma peça de Ra, um leilão inicia-se e o primeiro que pode, ou não, dar um lance é o jogador à esquerda daquele que revelou a peça de Ra. Ninguém é obrigado a dar um lance quando o leilão é iniciado por uma peça de Ra. Se ninguém der um lance, as peças leiloadas permanecem em jogo, e o a vez de jogo passa ao próximo participante;

2) Se um jogador chamar Ra. Como acima, o leilão começa com aquele à esquerda de quem chamou Ra. O jogador que chamou Ra é obrigado a dar um lance se ninguém mais oferecer algum de seus sóis;

(Imagem por kilroy_locke)

 

3) Se a linha de peças a serem leiloadas for completada. O leilão também começo com o jogador à esquerda daquele que relevou a peça que preencheu a linha. Ninguém é obrigado a dar um lance pelas peças. Se nenhum sol for oferecido, todas as peças da linha são removidas de jogo e não retornam mais naquela partida.

OS TIPOS DE PEÇAS & PONTUAÇÃO

Existem os seguintes tipos de peças:

Sóis: são o “dinheiro” do jogo. As peças de Sol têm valores descritos nelas, que vão de 1 a 16. Num jogo com 4 pessoas, cada um terá 3 peças de sol de valores variados

Ouro: valem 3 pontos ao final da época, então sai de jogo;

Deuses: podem ser usadas para pegar uma peça entre aquelas a serem leiloadas. Ao final da época, se não for usado, vale 2 pontos, e sai de jogo;

Faraós: aquele que mais tem peças de Faraó marca 5 pontos, quem tiver menos peças de Faraó perde 2 pontos;

Nilo: as peças de Nilo só valem pontos se o jogador tiver ao menos 1 peça de Enchente. Cada peça de Nilo vale 1 ponto se houver uma Enchente entre elas;

Enchente: permite que as peças de Nilo valham 1 ponto cada. A própria peça de Enchente vale 1 ponto. Ao final de cada época, as peças de Enchente são descartadas e não voltam mais à partida;

(Imagem por jgrundy)

 

Civilização: existem 5 tipos diferentes (Agricultura, Astronomia, Religião, Escrita e Arte). Três peças diferentes valem 5 pontos, quatro peças diferentes valem 10 pontos e cinco peças diferentes valem 15 pontos. Qualquer jogador não tiver ao menos 1 peça de Civilização perderá 5 pontos;

Monumentos: são em 8 tipos diferentes (Pirâmide, Obelisco, Pirâmide de Níveis, Palácio, Templo, Estátua, Esfinge e Fortaleza). De 1 a 6 peças diferentes, valerá 1 ponto cada; 7 peças diferentes valem 10 pontos; 8 pelas diferentes valem 15 pontos. Três peças iguais valem 5 pontos, quatro peças iguais valem 10 pontos e cinco peças iguais valem 15 pontos.

Os monumentos são pontuados somente ao final da terceira época. Todos os demais são marcados ao final de cada época.

Ao final da terceira época o jogador que tiver a maior soma nos valores dos sóis marca 5 pontos. Aquele que tiver a menor soma, perde 5 pontos.

Além delas, existem as peças de Catástrofes, que são:

Seca: destrói 2 Enchentes (ou 2 Nilos ou 1 Nilo e 1 Enchente, mas as Enchentes são sempre destruídas antes);

Funeral: destrói 2 peças de Faraó;

Revolução/Guerra: destrói 2 peças de Civilização;

Terremoto: destrói 2 peças de Monumento.

As peças de Catástrofe ficam juntas das demais que estão para ser leiloadas. Assim, quem vencer um leilão, tem que levar tanto as peças boas quanto as catástrofes, e tem de lidar com elas assim que as adquire (podendo destruir mesmo as outras peças que o jogador adquiriu junto delas).

Vence o jogador que, ao final das 3 épocas, tiver mais pontos.

E É BOM?

(Imagem por helioa)

 

Sim, é sim. Na mecânica de leilão é um dos mais puros e polido exemplos. Mas ele pode ser imperdoável. É difícil se recuperar dele: algumas trocas de peças de sol altas por medianas ou baixas, e será uma batalha para voltar ao jogo.

Isso pode fazer com que um ou mais jogadores façam figuração na disputa pela vitória, porém não deixa de ser um fator na partida: a possibilidade de chamar Ra, influencia o jogo de todos os demais, mesmo que aquele que iniciou o leilão só tenha chances de ganhar se os lances dos outros forem pequenos ou que passem.

Acredito que com mais experiência, esses casos rareiem, contudo como sempre nas vezes que joguei havia dois ou mais novatos, em todas elas houve alguém que comeu poeira (na minha estreia, quem comeu areia fui eu, lutando só para evitar uma pontuação negativa!).

A interação entre os participantes é total: o leilão é aberto a todos e usualmente a pressão segue até a última peça de sol. E, diferente de outros jogos de leilão em que a fase dos lances pode se alongar – tanto pelas idas e vindas dos lances como por causa das avaliações daqueles envolvidos – em Ra as fases de leilão são bastante curtas por dois motivos: um, o jogador que passar a vez não pode retornar depois ao leilão; e, dois, o lance do jogador é único – se ele ofertou um sol de valor 7, ele não poderá depois aumentar para um 10. Assim, a resolução do leilão é dinâmica, sem enrolação.

Dessa maneira uma partida de Ra demora entre 45 minutos a 1 hora, mesmo em cinco pessoas. No entanto, neste espaço de tempo, há muito o que pensar: quando e quanto investir, que peça de sol será coletada (a peça do sol do jogador que venceu o leilão vai para o tabuleiro, que recolhe aquela que estava ali antes – de começo de jogo a peça que está no tabuleiro é a de 1), o que os outros precisam, quando chamar Ra, e assim em diante.

O desenhos das peças são claros e é fácil perceber o que é o que – todas têm esquemas de cores que as diferenciam. E a qualidade é boa, com peças de madeira para os sóis e o peça de Ra (que marca quem chamou Ra).

Ou seja, pelo preço, recebe-se um jogo que certamente vale o investimento.

E é isso!

Abs,

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s